Tudo sobre as rosas

Uma das flores mais populares conhecidas no mundo todo é a rosa, o homem cultiva esta planta desde a antiguidade. Sabe-se que a primeira rosa surgiu nos jardins asiáticos há cerca de 5000 anos, no entanto, em sua forma selvagem, seu tempo de existência é ainda mais antigo.

Pertencentes a família Rosaceae, existem mais de 100 espécies e variedades de cores. Para quem gosta de cultivar flores, a rosa pode ser uma ótima opção, porém necessita de alguns cuidados à mais.

No artigo de hoje iremos falar um pouco mais sobre como cultivar rosas e outras curiosidades a respeito dessa linda flor. Se você quer saber mais, continue a leitura.

Como cultivar uma rosa

A rosa simboliza o amor, é uma flor muito romântica, perfumada e delicada. Esse tipo de flor, frequentemente está presente em pedidos de casamento, em eventos especiais e até quando se quer fazer um agrado a mãe ou a esposa, por exemplo. Afinal, não há quem resista a seus encantos.

Para quem é apaixonada por esse tipo de planta, pode se arriscar em fazer o plantio e cultivo. As roseiras tem preferência por solos argilosos, ricos em húmus. É necessário que sejam plantadas a 30cm de profundidade, preenchendo com terra aos poucos, inicialmente em torno da raiz.

A rega deve ser feita ao meio dia, quando a insolação estiver mais intensa. Porém, quando começar a floração, regue apenas duas vezes por semana. O clima perfeito para que as roseiras mantenham-se saudáveis e bonitas é na faixa dos 25ºC a 30ºC.

Elas precisam ficar de 6 a 7 horas por dia com incidência direta do sol e em ambiente bem arejado. Para esse tipo de planta, é recomendada a adubação de 2 a 3 vezes ao ano, sendo que a melhor é a orgânica, que contém compostos orgânicos, esterco de animal e torta de mamona.

Outro quesito importante no cultivo das rosas são as podas, que devem ser feitas sempre que as roseiras florescerem. Corte duas à três folhas na direção diagonal, abaixo no botão.

Vale lembrar ainda, que o melhor período para realizar a poda das roseiras é entre os meses de julho e agosto.

Para cultivar as roseiras, é preciso ficar atento as pragas existentes, assim como no cultivo das orquídeas, temos que  trata-las rapidamente  antes que acabem com sua plantação. As pragas que costumam atacar as rosas são as mesmas que atacam as orquídeas: cochonilha, pulgões e ácaros.

A fim de combate-los, fique sempre de olho em suas plantas e utilize fungicidas e inseticidas específicos.

Não existem muitos segredos para que você consiga através do cultivo obter lindas roseiras, basta ter cuidado para não regar ou usar inseticidas em excesso, estar atento para mudar a planta de lugar quando ver que ela não se adaptou, e nunca utilizar agua fria para rega, opte pela água na temperatura ambiente.

Gostou de aprender mais sobre o cultivo das rosas? Compartilhe o artigo em suas redes sociais e não se esqueça de deixar o seu comentário dizendo se você já tentou plantar uma rosa.

Ipê rosa

O ipê rosa se trata de uma árvore brasileira que pertence à família Bignoniaceae, é conhecida também por outros inúmeros nomes, como ipê-roxo-bola, pau-cachorro, ipê-de-minas e outros.

A árvore pode chegar em média, de 8 a 12 metros de altura, no entanto, em algumas florestas, pode apresentar até 30 metros de comprimento. É facilmente encontrada nas cidades, embelezando as ruas na primavera, que é quando a árvore floresce.

Quer saber mais curiosidades a respeito do ipê rosa? Então continue a leitura no artigo para aprender mais à seguir sobre essa bela árvore.

Um pouco mais sobre o ipê rosa que você não sabia

O ipê rosa não é como uma orquídea, pequena e delicada que você pode cultivar facilmente em sua casa, ou presentear alguém. Entretanto é uma árvore de crescimento relativamente rápido, que em regiões livre de geadas, é capaz de atingir 3,5 m em dois anos.

Quando ela decide florescer, normalmente iniciando de junho a agosto, não há quem resista aos encantos e beleza de suas belas flores. Embora ela prefira climas mais quentes, num inverno ameno e seco, também oferecerá uma linda florada ao iniciar a primavera.

Não é uma árvore para se ter no quintal apertado de casa, ela é ideal para áreas mais isoladas, ou mesmo paisagismo de grandes avenidas, por isso é comum ser vista em centros de cidades. E é devido a seu rápido crescimento, que é muito utilizada no uso urbano.

A preferencia da árvore com relação ao solo, está por aqueles mais férteis e bem drenados. A espécie é muito recomendada para recuperar ecossistemas degradados.

O ipê rosa, é a primeira espécie de ipês a florir na primavera, ela é facilmente distinguida dos outros ipês pois apresenta floração junto com a presença de folhas.

A árvore possui diversos compostos como potássio, ferro, cálcio, bário, iodo e estrôncio, o que fez e faz dela uma árvore muito utilizada com fins medicinais.

A polinização do ipê rosa é feita por pássaros e abelhas, seus frutos secos e pretos podem medir até 50cm, além disso a dispersão ocorre por meio do vento, as sementes da árvore medem cerda de 2,5cm à 3cm.

Apesar de muito bela, não é muito comum ser encontrada em jardins residenciais e condomínios que possuem piscina, pois as folhas que caem frequentemente podem trazer problemas relacionados a frequente necessidade de manutenção.

Além do ipê rosa, uma espécie semelhante é o ipê roxo, que chega a atingir de 10 a 20 metros de altura e possui folhas arroxeadas, sua formação se dá principalmente no habitat do complexo atlântico e em algumas ocasiões pode ser vista no cerradão e na caatinga.

De qualquer forma, sendo ipê rosa, roxo ou qualquer que seja sua espécie, não existem dúvidas com relação a beleza dessa linda árvore.